Já aconteceu com você de regularmente entrar num estado emocional que te gera resultados que você não gosta ou se arrepende? Às vezes ficamos até irritados por não conseguir controlar as emoções e continuamos criando na nossa frente os monstros que não gostamos. Caso você queira melhores resultados na sua carreira, no seu negócio ou na sua vida, é uma boa idéia parar de criar monstros e começar a criar colibris.

Qualquer resultado que você deseja funciona como aquelas seqüências de queda de dominó que você já viu na televisão. Você dá um peteleco no primeiro e aquela onda começa até o último dominó. A última peça de dominó antes do resultado que você deseja é o que você faz, o seu comportamento. A última antes do que você faz é o estado emocional que você produz. É isso mesmo, estados emocionais não caem de pára-quedas. Nós é que produzimos as emoções. A peça de dominó que vem antes do estado emocional é um pensamento, uma crença ou uma postura física (lembre-se que corpo e mente fazem parte de um único sistema).  Antes do pensamento vem a primeira pecinha que levou o peteleco: o gatilho, o disparador.

Este gatilho é a chave do segredo para você controlar qualquer estado emocional. O que acontece é que temos o hábito inconsciente de rodar sempre o mesmo software frente aos gatilhos que aparecem na nossa vida. Não é a toa que às vezes continuamos produzindo os mesmos resultados que não gostamos. Muito bem, e a chave para você identificar o gatilho é estar atento ao aparecimento dele e ter planejado antes o que você fará de diferente. Lembra daquela história de que se você continuar fazendo o que sempre fez vai continuar colhendo o que sempre colheu?

Use a seqüência abaixo para controlar seus estados emocionais e melhorar os seus resultados quando o sangue ferver ou para quando aquela nuvem de desânimo chegar perto de você.

[1]  Identifique o problema. Por exemplo, você se irrita quando é interrompido e mete os pés pelas mãos.

[2] Qual resultado você quer no lugar do problema? Você quer manter a calma e continuar a falar de uma forma assertiva.

[3] Qual exatamente é o gatilho (o peteleco do problema). Aqui você precisa ser bem específico. Pode ser, por exemplo, o seguinte: quando você está falando e se dá conta que a outra pessoas abriu as narinas para falar ou os lábios se descolaram o seu sangue começa a ferver. Saber exatamente qual é o gatilho é o núcleo da célula.

Assine a Nossa Lista VIP Para Receber Conteúdo Exclusivo e Receba o Ebook “Metas: Como Transformar Sonhos em Realidade”

privacy Respeitamos a sua privacidade e não toleramos SPAM! Seus dados estarão em total segurança!


[4] Planeje antecipadamente o que você fará depois que o gatilho surgir. Existem várias técnicas:  âncoras, dissociação, congelamento, posições perceptuais etc. A mais fácil é a dissociação. Imagine que você está do seu lado, fora de você, assistindo a cena, como se fosse num filme. Treine e perceba como a intensidade emocional diminui e você tem mais espaço para racionalizar e analisar que fazer.

[5] Treine mentalmente várias vezes a nova estratégia. Mentalmente, veja, ouça e sinta uma situação no futuro em que a emoção problema pode aparecer e mentalmente utilize o planejado. Note no seu corpo o efeito do novo processamento instalado.

Mostrando assim, parece fácil. E é. Você precisa é treinar mentalmente. Isto demanda tempo e planejamento. Os atletas treinam para as suas provas, certo? Treine antes para situações em que você deseja ter estados emocionais que te dêem mais poder.

Muito bem, qual a melhor lição que você tirou deste texto? Que fichas caíram para você em relação ao que você  pode fazer para melhorar e avançar na direção das suas metas? O que você vai fazer?

Experimente, coloque estas dicas em prática.

.

Fred Graef
Fred Graef

Palestrante, Coach e Consultor. Especialista em Vendas, Liderança e Alta Performance.