Várias vezes nós iniciamos alguma mudança pessoal. A prática de algum comportamento novo, a instalação de um novo hábito ou o abandono de outro e nos tornamos muito exigentes conosco. Precisamos lembrar que qualquer evolução que queiramos para nós funcionará como a curva de evolução de preços de uma boa ação da Bolsa de Valores.

Você já observou como se comporta ao longo do tempo (mais de 3 anos) a curva do preço de uma ação como Petrobrás, ou Gerdau ou Vale do Rio Doce (ou da própria BOVESPA)? No longo prazo, quando puxamos uma curva média de comportamento, o gráfico é sempre ascendente. Contudo, no curto prazo podem ocorrer várias quedas.

Conosco ocorre sempre a mesma coisa. Pense, por exemplo, na disciplina com a atividade física e alimentação equilibrada. Confesso para você que esta é uma área de constante desafio para mim. Sempre gostei de esporte mas nos últimos 10 anos não tenho sido um apaixonado por atividade física. Isso significa dizer que várias vezes comecei academias ou programas de exercício. No começo, ocorre a melhora, o peso baixa, a satisfação aumenta e a gente se motiva. É o preço da ação subindo. Só que depois vem uma desaceleração. A vontade diminui. A gente começa a comer mais doces, frituras e tudo o mais que não pode. Quando vê, pára de ir na academia. É o preço da ação caindo.

Aqui é que corremos risco. Aqui podemos cair no padrão de pensamento negativo do tipo “eu não consigo, não tenho disciplina, não nasci para isso” e por aí vai. Precisamos encarar estes momentos como simples “quedas na cotação”. No meu caso, recentemente bati um recorde. Completei um ano em que consegui frequentar a academia. Com várias faltas e paradas, mas para mim, considerei uma vitória.

Estes momentos de parada requerem fundamental atenção de nossa parte. Considero estes momentos como um platô em que estamos nos organizando e retomando forças e energia  para retomar a caminhada, a nova “elevação de preços” da nossa ação pessoal. São fases de grandes aprendizados pessoais.

A ideia é que nossa queda temporária nunca ocorrerá a um ponto mais baixo do que quando começamos. É como a curva de preços de um papel na Bolsa de Valores.

Precisamos é ter esta consciência, praticarmos e nos lembrarmos de que evolução e desenvolvimento pessoal são processos. É um movimento contínuo, com crescimento e quedas eventuais.

É necessário que estejamos atentos ao significado que damos aos resultados que não gostamos. Se chamarmos estes momentos de quedas eventuais e  preparação para nova onda de evolução, certamente nossos resultados melhorarão. Contudo, se dermos o significado para estes resultados indesejados de fracassos, falhas ou razões para desistência, estaremos interrompendo o movimento de crescimento na competência ou comportamento que queremos melhorar.

Tenhamos em mente a metáfora da curva de preços da Bolsa de Valores ao longo do tempo.

E você?

Como você encara os momentos em que os resultados não são os que você esperava?

Qual a sua experiência com relação a este tema:

Resultados Indesejados e Mudança Pessoal

Compartilhe abaixo a sua opinião!

Participe!


Fred Graef
Fred Graef

Palestrante, Mentor e Consultor. Especialista em Vendas, Liderança e Alta Performance.