Agenda

Imagine a cena: domingo à noite, você assistindo televisão, se preparando para começar a semana e a cabeça começa a doer. Você sente o peso sobre os ombros e aquele aperto no estômago em função de tudo o que você tem para fazer. Você tem uma série de coisas na cabeça mas parece que não vai dar conta, não é? Você fica se perguntando sobre o que fazer, o que você precisa priorizar. Você pensa “preciso me organizar”, “preciso dar um jeito na minha agenda”, “estou estressado”. Já viu este filme?

A causa? Várias… Falta de organização, falta de foco, falta de processos, falta de método, de ferramentas e por aí vai. Às vezes, mais sério que isso: falta de auto conhecimento. Às vezes a pessoa não sabe quais são seus valores, sua missão e sua visão. Aí o furo da bala é mais embaixo. Não quero entrar neste tema (já falamos em outros posts). Meu objetivo aqui é trazer para você uma dica prática de como fazer o seu mundo andar mais e aliviar esta sensação de pressão.

Qual é o começo do problema (aguarde porque tem mais)? Guardamos na cabeça (e não no papel ou numa planilha ou num word) as coisas que temos para fazer. Coisas tipo preparar um plano de ação, revisar o fluxo de caixa, aprender inglês, montar o CV, arrumar o carro, providenciar passagens para as férias, fazer reunião com a equipe e por aí vai. Parece simples e banal, mas pensar no papel (ou no computador) faz uma diferença brutal.

E depois, qual a outra parte do problema? A não separação das coisas que temos na cabeça. Estas coisas se classificam em 2 categorias: a fazer e projetos. O que é o “a fazer”? Coisas tipo ligar para minha mãe, checar o extrato do banco, passar e-mail para a equipe e marcar reunião etc. O que são os projetos? Todas as coisas na sua cabeça que têm mais de 2 passos. Todos os exemplos do 3.o parágrafo são projetos (preparar um plano de ação, revisar o fluxo de caixa etc). Por quê? Pense bem … Você não “resolve” estas “coisas” com apenas um passo. São precisos vários passos para fazer “a coisa” acontecer. Faz sentido para você?

O que fazer então? A dica é simples e banal, mas faz uma diferença enorme. Você precisa pegar cada uma destes projetos na sua cabaça e pensar qual é o primeiro passo físico e observável. Vamos ver o exemplo de arrumar o carro. Eu estava explicando este método a um cliente e perguntei, qual é o primeiro passo? O cliente respondeu, “levar o carro para arrumar”. Parece lógico, não é? Mas esta não é a resposta. E geralmente estes são os tipos de respostas que as pessoas dão quando você pergunta qual o 1.o passo. E aqui está a grande sacada de todo o método! Você precisa ser bem básico, bem pé no chão. Talvez o primeiro passo seja “pesquisar no Google quais as oficinas perto da minha casa”. Talvez seja “ligar para a minha oficina e marcar um horário”. Pegou a diferença? Quando você guarda na cabeça “arrumar o carro”, o problema não se resolve, a “coisa” não avança. Quando você pensa e escreve “pequisar no Google quais as oficinas perto da minha casa”, aí sim, você tem uma ação. E para esta ação você define uma data e coloca na sua agenda. Pronto. Simples, não é? Mas a maioria esmagadora das pessoas não faz isso. Elas guardam todos os projetos na cabeça (no conceito do método, resultados que você deseja e que precisam de mais de 1 passo) e se sentem estressadas e pressionadas.

Assine a Nossa Lista VIP Para Receber Conteúdo Exclusivo e Receba o Ebook “Metas: Como Transformar Sonhos em Realidade”

privacy Respeitamos a sua privacidade e não toleramos SPAM! Seus dados estarão em total segurança!

Resumo da ópera: pense no 1.o passo físico e observável, o mais banal possível, para fazer “a coisa” (o seu projeto) andar.

Ok, o que fazer agora? Pegue um papel e uma caneta (ou uma planilha ou arquivo do word), e escreva tudo o que existe na sua cabeça. Tudo! Todas as coisas que envolverem mais de duas ações são projetos. Escreva tudo. Analise cada projeto da lista e defina o primeiro passo (físico e observável).  Depois, defina uma data para a ação e coloque na sua agenda. No seu dia a dia, seja um robô, cumpra as ações definidas para o dia. Execute! Depois, revise uma vez por semana a sua lista de projetos e verifique o andamento de cada um. Nesta análise semanal, avalie se todos os projetos possuem a próxima ação necessária (física e observável) com data definida. Se não tiver, defina a ação, caso contrário o projeto ficará na sua cabeça, drenando sua energia e trazendo estresse e preocupação.

Experimente a dica e sinta a diferença. Apenas o fato de você fazer uma limpeza mental e colocar tudo num documento (papel, planilha, word etc) já fará uma diferença fantástica para você. Com as ações definidas na sua agenda, você leve e satisfeito por perceber que “o seu mundo está andando e as coisas estão acontecendo”. Experimente e sinta.


Fred Graef
Fred Graef

Palestrante, Coach e Consultor. Especialista em Vendas, Liderança e Alta Performance.